QUEM SOU

A minha vida como Trader começou em 2006.

Em 2006, após um ano trabalhando como estagiário de uma grande empresa de energia elétrica em Goiânia/GO, descobri o mercado financeiro no departamento que eu trabalhava. Havia dois rapazes no mesmo setor de trabalho que usavam três monitores cada, todos os dias eu passava de frente a mesa dos rapazes e ficava intrigado com aquelas luzes de cotacoes piscando em cada monitor. Um belo dia, perguntei a um deles qual o trabalho que eles desenvolviam.

Surgiu então, a Bolsa de Valores em minha vida profissional. Na medida que fui recebendo as informações por aquele rapaz, já indaguei por onde começar. A sua indicação foi começar por alguns livros, além do simulador de operações do FolhaInvest, na época era um simulador da UOL com 15 minutos de atrasos nas cotações, podendo operar somente ações do Índice Ibovespa.

Os anos de 2007 e 2008 serviram apenas para que eu estudasse o mercado, pois era menino novo e não tinha dinheiro para colocar em risco.

O ano de 2009 foi um divisor de águas, passei no vestibular em uma Universidade Federal, além de um concurso público. Consegui juntar um dinheiro e iniciei a minha vida de trader em Novembro de 2009 comprando ações de pequeno valor, apelidadas no mercado de “micos”. Em todo esse tempo, aprendi a ser um Trader bem oganizado e nos meus cursos presenciais apresento as minhas planilhas de operações desde o meu início.

Vieram os anos de vacas magras do mercado, 2010 a 2013 apanhei bastante e o dinheiro que eu colocava na corretora virava pó, perdia ao longo de meses e alguns casos, dias. A minha primeira quebra aconteceu em Março de 2010, trouxe consigo a perda de coragem de entrar nas operações como entrava antes e a partir desta quebra surgiram várias outras, porém sempre pequenas afinal dinheiro para investir em Bolsa naquela época eu não tinha, muito menos para especular e tentar aprender a qualquer custo. Nesse mesmo período, empreendi em dois ramos diferentes abrindo um escritório no ramo de construção civil e informática, além de trabalhar seis horas por dia no cargo público.

Os próximos anos trouxeram maturidade nas minhas operações e a chave para o meu sucesso, trabalhar com a mentalidade de proteger minha ferramenta de trabalho a qualquer custo. O meu dinheiro é a minha ferramenta de trabalho e eu não poderia perde-lo, caso contrario não tinha como operar e consequentemente trabalhar.

Se 2009 foi o divisor de águas, 2014 foi o meu Day1 ao adotar algumas filosofias para se operar em Bolsa de Valores e passei a não acreditar em setup’s, adotei o plano de trade e um modo de operar baseado em contabilização de perdas. O resultado dessa mudança de mentalidade foi fantástica, consegui fechar minha primeira declaração anual de imposto de renda com superávit nas fichas de renda váriavel e pedir exoneração do cargo público.

Em 2015, aprendi a concentrar minhas operações day-trade somente em dólar americano, eu utlizava um setup que já vinha estudando alguns anos atrás chamado de start-stop. A minha vida pessoal e os meus outros negócios iam muito mal, porém eu tinha encontrado no dólar uma forma de operar disciplinadamente, o que me auxiliava a evitar perder a cabeça durante um dia de operações.

Merece um capítulo a parte o ano de 2016. Ganhei bons números de Janeiro a Agosto operando capital de terceiros e extremamente alavancado na companhia de amigos, números que antes para mim eram distantes. Descobri no mercado de ações uma forma de me proteger, migrava valores que ganhava no dólar para as ações. Cheguei a ganhar 142% em dois meses em Siderurgica Nacional (CSNA3), já não precisava trabalhar para ninguém o capital que eu estava acumulando tomou uma boa proporção.

O mês de Setembro daquele ano foi o pior mês que eu já enfrentei sendo um operador de Bolsa de Valores. Perdi uma alta quantia no Day-trade em um único dia, a confiança foi sendo minada com a mudança de mercado, menos volatilidade e mais volume. Aprendi nos demais meses que não adiantava elaborar outras estratégias, a estratégica perfeita nao existia. Quanto mais simples e bem de cabeça eu fosse, mais sucesso eu teria e eu nao estaria suscetivel a fases sazonais de mercado.

Em 2017, passar operar o Indice Ibovespa trouxe mais segurança e consistências nas minhas operações. Ao longo do tempo fui percebendo que ganhar dinheiro com o mercado de trading é muito mais consequência da mentalidade de preservação de capital a qualquer custo, do que qualquer outra coisa.

Em agosto de 2017 surgiu a ideia de comercializar através de cursos, os meus dias de operações no day-trade. O fato de comprar e vender dólar, índice ibovespa e ações na frente das pessoas faz com que eu ensine e seja remunerado por aqueles que desejavam aprender o mercado.

Em 2018, surgiram novos projetos e estão sendo tocados baseados em uma fundação: trading.

(62) 99988-0077 @fabricio_goncalvez
FABRÍCIO GONÇALVEZ © 2018. Todos os direitos reservados.
Demand Tecnologia